16 de outubro de 2017

Algumas Verdades Sobre a Musculação - Parte 2

Verdadades Sobre Musculação

Fala Galera,

Conforme prometido essa é o segunda parte do post sobre algumas verdades da Musculação, caso não tenha vista a primeira aconselho dá uma passada lá no primeiro post de Algumas Verdades Sobre a Musculação - Parte 1.



Antes de tudo vamos ao aviso maroto:

Não sou educador físico, profissional da área, nutricionista ou qualquer coisa do tipo, sou apenas um marombeiro que curte muito esse universo e que deseja compartilhar um pouco de experiência com a galera. Porém, posso falar alguma besteira, possa estar equivocado em algumas coisas, posso ter interpretado errado outras, enfim, não utilize esse texto como verdade absoluta, caso tenham alguma crítica construtiva ou colaboração fique à vontade, o intuito aqui é tentar ajudar a galera, então não me responsabilizo por atitudes por você tomada com base no que leu no Blog.

Dito isto vamos em frente com algumas verdades desse universo incrível da musculação.

1. Carga não é Tudo

Carga não é tudo
Designed by Freepik

Diversas vezes já presenciei a cena em que uma pessoa que acabará de adentrar na academia e aparentemente no mundo das atividades físicas de qualquer espécie já chega com uma sede voraz de pesos, que influenciado por outro colega ou por pura observação de pessoas que já treinam a mais tempo e consegue fazer exercícios com altas cargas, tentam da mesma forma se equiparar a eles, porém não possuem experiência, estrutura e conhecimento necessário para tal prática.

E as consequências de tudo isso é falta de progresso nos seus objetivos acompanhado de possíveis lesões dos mais variados tipos, isso tanto no curto, médio e até mesmo no longo prazo.

Porém vale ressaltar que isso não ocorre somente com pessoas que acabaram de adentrar na academia, já presenciei cenas de pessoas que já treinavam há algum tempo (que apesar disso ainda são sim iniciantes) e que simplesmente ignoravam os limites do corpo e se valiam do treinamento do ego e da vontade de se aparecer na academia colocando altas cargas, fazendo exercícios incorretos com grandes chances de se machucarem gravemente, em alguns casos mais severos permanentemente ou até mesmo fatalmente.

É correto afirmar que progressão de cargas é um fator que deve ser levado em consideração sim, porém a forma como a maioria faz é totalmente equivocada e não há conhecimento nenhum envolvido nisso, na grande maioria dos casos. E mais, a carga é somente um dos pilares capazes de manter a intensidade em um treinamento. Tempo de descanso e Técnicas avançadas como Bi-set, Drop-Set, GVT, Rest n' pause e outras mais, também visam o mesmo objetivo que é a progressão de cargas, que é causar microfissuras nas fibras musculares para provocar consequentemente Hipertrofia.

E não vale dizer que A ou B, faz exercícios com pesos elevados e pedem ajudar a amigos, ou que outros colocam peso demais e fazem errado "roubando" no exercício, ou até mesmo fazem somente uma repetição com alta carga e Blá, Blá, Blá, pois na maioria dos casos eles sabem o que estão fazendo e possuem experiência para tal feito, e não é porque ele está fazendo que você também deve fazer sem ao menos saber qual o conceito e técnica envolvida naquilo.


 2. Peso não é Tudo.
Peso não é tudo
Fonte: Omron
Da mesma forma que Carga não é tudo e que ela por si só não deve ser fato tão relevante a ponto de colocar a execução de lado (a menos que saiba o que está fazendo e porque) o peso também não é algo a ser levando ao pé da letra.

Esse é um dos grandes erros que a maioria comete, inclusive eu fui por muito tempo iludido com isso, acreditava que quando chegasse em determinado peso iria ser o melhor, desprezando simetria, composição corporal e qualidade muscular, porém aos poucos fui percebendo que isso por si só não significa muita coisa.

Fiquei por muito tempo bitolado em bater um peso (100kg) achando que com isso seria o maioral, pura ilusão. Claro que junto com o peso você ganha volume e isso dentro das roupas provoca sensação de bem estar e infla seu ego, porém de quê adianta volume sem qualidade? NADA, simplesmente não serve de nada (a menos que você tenha objetivos específicos, como Bulking, ou é um Powerlifiting).

Como acredito que a maioria da população deseja ter corpo desenvolvido e simétrico e em alguns casos ter grande volume de massa, não é fazendo um Bulking eterno crescendo feito um leitão de engorda pra vida toda, com braço roliço e pança de gorila que vai fazer você atingir seu objetivo, pois visualmente falando você chamará muito mais atenção e aparentará ter mais volume com percentual de gordura mais baixo, reduzindo no geral o seu volume que é de gordura e não exatamente músculo.

O que acontece na maioria dos casos é que quando alguém entra em fase de ganho de peso denominado Bulking ou Off, à medida que, o volume vem chegando as roupas vão ficando mais apertadas, as medidas aumentam e a galera começa a perceber e comentar o quão grande vocês está ficando, com isso as pessoas permanecem dessa forma e buscam sempre mais peso, sem qualidade, porém somente dentro da roupa, pois quando está em uma piscina ou praia aquele volume mais parece o boneco da Michelin e você se torna simplesmente o "gordo" fortinho e não chamará tanta atenção, assim como trará prejuízos à saúde, pois a gordura abdominal ou Visceral é extremamente prejudicial pois está entre os órgãos e é bem difícil de perdê-la.

3. Genética não é Tudo
Genética não é tudo
Fonte: Gorila Maromba

Pretendo fazer um post em breve tratando sobre os tipos físicos, mas para facilitar  grosseiramente falando existem três:

1. Ectomorfo - Tipo alto e magro, come muito, metabolismo muito acelerado, dificuldade de ganho de massa, ombros caídos e estrutura óssea leve.
2. Mesomorfo - Forte e Encorpado, admirado por todos, braços grandes, pernas grossas, facilidade de ganho de massa, ombros largos, corpo atlético e simétrico, estrutura corporal média.
3. Endomorfo - Gordinho, possui facilidade para acúmulo de gordura em decorrência do metabolismo lento, abdômen com saliência, braços  e pernas curtos, estrutura óssea larga e baixa definição.

Tendo isso em mente, há aqueles que após se identificarem com o seu tipo físico alegam veementemente que o fracasso na musculação é exclusivamente por conta da sua genética que não lhe favorece, a exemplo posso citar eu mesmo, que por muito tempo culpei minha genética de ectomorfo que não me permitia crescer além do que queria, ombros caídos, pernas finas, braços e pernas longos, dificuldade de ganho de massa, e metabolismo muito acelerado eram uma das características que me fez se assemelhar a esse tipo físico que por muito tempo, xinguei e coloquei toda a culpa nele.

Claro que ele tem sim, grande influencia no seu desenvolvimento, porém não deve e não pode ser utilizado como desculpa para o seu fracasso, pois apesar do que a genética lhe reservou, você pode ir além disso e conseguir ótimos ganhos e mudar a sua situação atual, com foco, paciência e inteligência.

Para isso é necessário conhecer bem o seu tipo físico e montar adequadamente dieta e treino para cada tipo, que com certeza os resultados virão. É claro que se você não tiver uma genética adequada não se tornará o Mister Olympia (mesmo considerando que as outras variáveis sejam obedecidas) pois há uma limitação nesse quesito, porém isso só será fator relevante caso queira competir em alto nível, coisa que acredito não ser objetivo da maioria.

4. Dor não é Sinônimo de Crescimento
Dor não é sinônimo de crescimento
Fonte Atzmut
Com certeza alguém já ouviu essa velha máxima da musculação, e a utiliza como verdade absoluta no seu dia a dia, porém não é porque vocês está sentindo dor que significa que seu músculo está sendo estimulado corretamente, a exemplo temos aqueles que colocam altas cargas nos exercícios e sentem dores das mais variadas e no outro dia mal consegue andar e ficam achando que estão arrasando.

A Dor Muscular Tardia, aquele vem após fazermos o treino, não significa que os músculos estão trabalhando para crescer, são apenas os ácidos acumulados nele, e mais, há aqueles que fazem tão errado que provocam dores até mesmo nas articulações e acreditam piamente que está tendo sucesso no crescimento muscular.

O que a frase quer dizer é que não existe ganho sem esforço máximo, e não necessariamente dor, pois ela por si só não significa muito coisa, ou melhor até pode significar que vocês está fazendo algo errado, dependendo de como ela se apresenta.

O que vai prover aumento das fibras musculares (Hipertrofia) é a capacidade de causar microfissuras nelas, para isso a máxima que deve ser utilizada é ir até a falha do movimento, quando você não aguenta mais ir, considerando uma faixa de repetições, isto é, se seu treino está montado em 3 séries de 12 repetições (3x12) não é porque chegou em 12 que você deve parar se consegue ir além, vá até quando não conseguir mais realizar o movimento.

Normalmente se utiliza a quantidade de repetições apenas como um norte para a colocação da carga, ou seja se foi estipulado 12 rep, com carga de 20kg, se você falhar faltando três repetições para o objetivo diminui-se o peso, se ultrapassou mais que três aumenta-se o peso.

5. O Básico Tende a Ser Melhor 

O básico tende a ser melhor
Fonte: Vix

Essa é para aqueles que acham que o sal rosa do Himalaia trará retornos absurdos quem nem precisará mais ter disciplina nas refeições ou foco na academia, ou até mesmo para aqueles que acham que a Chia e a Quinoa, trarão quantidades tão absurdas de macronutrientes que somente eles suprirão a sua necessidade calórica e que finalmente acharam o pote no fim do arco-íris.

O que quero dizer com isso é que, tanto nos treinos como na dieta o básico tende a ser melhor no longo prazo, não que o sal rosa não possa ser utilizado e não seja útil, e nem que a chia e a quinoa também não sejam ótimos alimentos, porém a grande maioria estão constantemente em busca de alimentos, formulas e exercícios milagrosos que serão capazes de resolver seus problemas da noite pro dia, o que não é bem por aí.

Na Academia o que há de pessoas com exercícios cada vez mais cabulosos, isolados, diversas máquinas, cabos e artimanhas para isolar o músculo, e quando não dispõe disso possuem somente pesos livres e máquinas básicas alegam que não há como treinar, o que na verdade é um grande erro, pois exercícios compostos e básicos como Agachamento, Levantamento Terra, Rosca Direta na barra ou halteres, Desenvolvimento e tantos outros são os principais construtores musculares, isso porque são complexos e exigem grande quantidade de músculos para a sua realização, principalmente se realizaram com pesos livres.

Isso não quer dizer que as máquinas não tenham sua relevância, tem e muito, como em casos que quer dá uma lapidada no shape, corrigir falhas, lesões em algum músculo que impede de treinar de forma livre, fator genético que dificulta a execução de forma tradicional entre tantos outros.

O fato é, exercícios composto e básicos, executados principalmente de forma livre com halteres, barras, ou máquinas simples são essenciais para fazer a fundição do prédio denominado corpo humano, e em seguida os outros veem para fazer o acabamento. Agora imagine que você queira primeiro fazer o acabamento em um prédio que nem foi levantando ainda? será um pouco complicado não acha? Por isso de inicio o básico tanto na dieta quanto no treino deve ser obedecido, até que se tenha mais conhecimento tanto técnicos quanto do seu próprio corpo para ir fazendo modificações com sabedoria para lapidar e melhorar o shape.

Há uma frase que eu gosto muito do Leandro Twin (quem não conhece recomendo a pesquisa) que diz:
Seu Corpo não é Fresco, Embora Você Possa Ser.

Então é isso galera, espero que tenham gostado e caso queiram contribuir e fazer alguma correção, colocação, fiquem à vontade nos comentários, com respeito claro, afinal o objeto aqui é ajuda mútua e respeito sempre.

Pretendo em breve colocar mais conteúdo desse tipo, pois apesar de ainda não saber de muito coisa é um universo que gosto bastante, inclusive estou cheio de ideia para os post, mas o macaquinho não sai do meu ombro.






Post Anterior
Próximo Post

Escrito por:

Um marombeiro, que ama puxar ferro, ler sobre finanças e investimentos, na saga pela tão sonhada independência Financeira, mesmo não possuindo muitos recursos para isso

7 comentários:

  1. Olá Maromba! Mais um excelente post! Além de me dar um alerta; - Inglês saia desse bulking já! rsrs

    Me identifico bastante com a questão dos pesos. Nunca fui de levantar altas cargas, e isso sempre gerou zoação na academia. E por não me importar com os caras, venho treinando há 10 anos e se tive uma lesão, foi muito!

    E mesmo puxando pouco peso, ganhei medidas até maiores do que eles hehehe...

    Portanto, principalmente para quem está iniciando, a dica é esquecer os pesos e focar na frequência, alimentação, descanso...

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E ai inglês, valeu mano. Pois é o Bulking te ilude, vc se sente grande, a galera começa a comentar, falar que ta monstro, mas a pança cada vez sobe mais, e quanto você se dá conta está parecendo um gorila após anos de bulking, ou nunca mais sai dele. kkkk.

      Quanto aos pesos eu já me iludi muito com isso, mas hoje sigo essa mesma linha que vc, e seria muito interessente se a galera que entra agr tbm seguisse, mas não é o que acontece na realidade, geral mete peso pra impressionar e acaba se lesionando e não evolui

      Excluir
  2. Maromba,

    Sou adepto de formas simples de musculação, mais por ignorância sobre esses treinos funcionais, crossfit, etc. Bom saber que nem tudo está perdido para pessoas como eu!

    Abraço do DM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala mascada, o importante é se manter ativo meu amigo, o básico tende a ser melhor, puxar ferro bruto, sem muitas daquelas máquinas, cabos e parafernálias, é claro que tem sua utilidade, mas tem que ter bom senso

      Excluir
  3. Maromba, gostei do post. Também penso assim. Inclusive, deixei a fase do bulking finalmente, e só volto ganhar massa quando baixar meu percentual de gordura. Ah, já tem um tempo que não compro suplementos, pois estou conseguindo excelentes resultados só com o basicão na alimentação. Se eu quiser melhorar mais, claro, tomo alguns suplementos, mas só o básico já me dá 80% dos resultados.

    Ótimo post

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Diário, valeu. Pois é, eu tbm sai do bulking depois de quase um ano, kkkk. quanto a suplementos após anos comprei umas creatinas, mas nada além disso, pois com alimentação se consegue o necessário para desenvolver em 95% dos casos

      Excluir
  4. Excelente maromba !

    Sucesso...
    Assim que voltar à rotina, volto aos treinos, agora está literalmente impossível.

    Abc

    ResponderExcluir